BLOGUEIRO CAMPISTA RELATA VIOLÊNCIA SOFRIDA NO RIO DE JANEIRO


"Domingo, 11 de setembro de 2011, 23h, cruzamento das Avenidas Jansen de Melo com Feliciano Sodré, no Centro de Niterói, a menos de 50 metros do 12º Batalhão de Polícia Militar, onde havia uma blitz da Lei Seca, com apoio da PM: dois homens armados, a pé, caminham em minha direção, apontam uma pistola para minha cabeça e roubam meu carro, um Citroën Xsara Picasso. Dentro do veículo, diversos pertences, entre eles laptop, documentos, instrumentos musicais, dinheiro e minhas memórias de infância.

O que fez a PM? Pasmem: correu, a pé, atrás dos bandidos que arrancaram com meu carro. Se eu estivesse alcoolizado, ou furasse a blitz, certamente seria alvejado com tiros e perseguido implacavelmente de carro.

Primeira pergunta que os “bravios” policiais me fizeram: você tem seguro? Respondi que não. Mas chego a conclusão de que seguros estão os bandidos, diante de uma polícia que reage de forma tão tímida à um evento de violência ocorrido sob seus olhos.

O veículo foi localizado 29 horas depois em São Gonçalo, batido, bloqueado, avariado e com pertences de diversas pessoas vítimas de violência semelhante, assaltadas com o meu veículo, que tive de rebocar do Pátio Deodoro, no Rio de Janeiro, para Campos. A operação me custou a semana inteira de trabalho e alguns reais que superaram a casa dos mil.

Essa é a segurança pública do Rio de Janeiro “pacificado” pelo governo Sérgio Cabral."
(Postado via IPad)
←  Anterior Proxima  → Página inicial

Um comentário:

  1. que pena meu amigo, la no Rio e fogo, Deus vai te ajudar

    ResponderExcluir